• Categorias

  • Disciplinas

  • Economia e Neg. Internacionais
  • Materiais Didáticos

  • Posts Recentes

  • Anúncios

Capa: Veja 17 profissões que estarão em alta em 2015, segundo especialistas

Veja 17 profissões que estarão em alta em 2015, segundo especialistas. Atividades comuns às atividades de logística estão entre estas profissões.
Continue lendo

Anúncios

Capa: Estratégia – Pequenas formam conglomerados e ganham força com fornecedores

Características Mais Valorizadas: Saiba o que as empresas de recrutamento buscam nos candidatos.
Continue lendo

Capa – Características Mais Valorizadas: Saiba o que as empresas de recrutamento buscam nos candidatos

Características Mais Valorizadas: Saiba o que as empresas de recrutamento buscam nos candidatos.
Continue lendo

Capa – Análise: Avanço da tecnologia está mexendo no emprego e nas cadeias de suprimentos

Análise: Avanço da tecnologia está mexendo no emprego e nas cadeias de suprimentos.
Continue lendo

Capa – Economia Aquecida: Taxa de desemprego em 2012 fica em 5,5%, menor nível em 10 anos

Economia Aquecida: Taxa de desemprego em 2012 fica em 5,5%, menor nível em 10 anos.
Continue lendo

Capa – Vantagens da Logística Capixaba como Atração de Empresas

Vantagens da Logística Capixaba como Atração de Empresas.
Continue lendo

Capa – Análise: Sem investir em infraestrutura, Brasil não será mais competitivo

08/09/201203h30

Análise: Sem investir em infraestrutura, Brasil não será mais competitivo

O anúncio do Ranking de Competitividade Global, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial (WEF) com 144 países participantes, posiciona o Brasil na 48ª posição.

Chama a atenção a disparidade entre esse índice e o tamanho de nossa economia. Se somos o 6º maior PIB, porque ficamos tão atrás quando o critério é o desempenho competitivo?

O resultado, positivo para o país, não encobre o fato de que continuamos com uma agenda inalterada de prioridades, centrada em quatro itens: educação, infraestrutura, simplificação tributária e reforma trabalhista.

É na infraestrutura que está talvez o nosso maior desafio. Com um custo de logística médio em torno de 15% do valor da carga, o Brasil perde competitividade para Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, onde esses custos não passam de 6%, 7%.

É preciso dobrar o nível de investimentos em infraestrutura de transportes, para 5% do PIB, sob risco de jamais superarmos o “estupendo” crescimento de 2,5% ao ano.

Para isso, é necessária uma agenda entre governo e setor privado, para somar esforços na solução desse gargalo ao desenvolvimento.

ERIK CAMARANO é diretor-presidente do Movimento Brasil Competitivo (MBC).

Link Matéria:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1150312-analise-sem-investir-em-infraestrutura-brasil-nao-sera-mais-competitivo.shtml